Como controlar a Sinusite com homeopatia

A pandemia imposta pela Covid-19 vem trazendo preocupação redobrada para quem sofre de sinusite.

Nos primeiros sinais de dor de cabeça, cansaço, arrepios no corpo e perda de paladar é comum pesquisar na internet os sintomas específicos de cada doença para que os possíveis diagnósticos da autoavaliação tragam mais leveza durante o dia.

Mas cuidado: nem sempre o que supomos condiz com a realidade. Ainda que muitos sintomas da sinusite se assemelhem com os do novo Coronavírus, com os da gripe e com os do resfriado, é essencial passar por uma avaliação médica para assertividade do diagnóstico.

Neste artigo, falaremos sobre a sinusite, suas causas, sintomas, diagnósticos e como tratá-la para que você tenha mais bem-estar e qualidade de vida nos tempos quentes ou frios.


Homeopatia para Rinite e Sinusite : 20ml



O que é Sinusite?


Segundo a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), por meio de uma publicação do “Guia Saúde Hoje e Sempre” compartilhada no site do órgão em 21 de janeiro de 2016, resume brevemente o significado do termo “Sinusite”: “(...) Sinusite significa inflamação da mucosa que reveste os seios paranasais - cavidades aéreas localizadas ao redor da cavidade nasal e que ajudam na circulação do ar que é inspirado e expirado pelo sistema respiratório.


“(...) Os seios da face são cavidades ósseas ao redor do nariz, das maçãs do rosto e dos olhos. (...) Pode-se dizer que os seios da face têm função de dar ressonância à voz, aquecem o ar inspirado e facilitam a sustentação do crânio, deixando-o mais leve (...)”.

Com um pouco mais de profundidade, os seios da face são constituídos por quatro cavidades conectadas por canais estreitos, contemplando:

1. Seios etmoidais: localizados entre os olhos;

2. Seios maxilares: localizados abaixo dos olhos;

3. Seios esfenoidais: localizados atrás dos olhos;

4. Seios frontais: localizados acima dos olhos.


Os seios paranasais estão localizados no rosto, próximos do nariz e dos olhos. Como a maior cavidade nasal é o maxilar, essa região é a mais suscetível às infecções.

Os seios da face produzem um muco fino que drena, para fora dos canais do nariz, bactérias e outros agentes contaminantes, garantindo naturalmente a sua limpeza. Porém, ainda que os seios da face se apresentem de maneira adequada estruturalmente, qualquer pessoa pode sofrer com algum tipo de infecção ao longo da vida.


A seguir, veremos os principais fatores causadores da sinusite, os sintomas mais comuns e como ela é diagnosticada.

O que causa a sinusite?


Todos nós podemos ter sinusite. Basta estarmos em contato com microrganismos capazes de inchar e bloquear os seios da face - dificultando, consequentemente, a respiração.


Os fatores mais comuns causadores da sinusite são:

a. Mudanças climáticas (frio);

b. Alergias nasais (poeira, ácaros, fungos e fuligens dos veículos);

c. Crescimento dos pólipos (tecidos que revestem as paredes e estruturas nasais);

d. Desvio do septo nasal (cartilagem que divide o nariz, atrapalhando o fluxo de ar da inspiração;

e. Uso de medicamentos e sistema imunológico baixo;

f. Consumo de tabaco e outros produtos de combustão aspirados pelo corpo;

g. Má higienização dos ambientes domésticos ou uso excessivo de produtos de limpeza (alvejantes e desinfetantes).


Esses são os fatores mais comuns causadores da sinusite. É bom destacar que a sinusite é semelhante à rinite. A Rinite é uma inflamação da mucosa do nariz, ou seja, é mais superficial. Já a Sinusite atinge os seios da face, manifestando-se em camadas mais profundas e em qualquer dos seios faciais mencionados acima.

Mas a sinusite é transmissível?


A sinusite bacteriana não pode ser transmitida de uma pessoa para a outra, mas o vírus causador da sinusite, sim. Caso o indivíduo tenha contraído o vírus da gripe, por exemplo, esse vírus pode ser transmitido por meio do espirro, ao tossir ou quando as partículas do vírus tenham sido expostas às superfícies de contato (corrimãos, botões de elevador, talheres, copos e outros objetos de uso compartilhado).


Antes da pandemia imposta pela covid-19, era comum vermos povos asiáticos usando máscaras na rua e em locais fechados (transporte público, escritórios, comércio e etc.). Essa postura, além de ser um sinal de respeito à saúde do próximo, também garante a proteção do próprio indivíduo contra agentes virais e bacterianos.

Quais são os principais sintomas da sinusite?


Quem sofre de sinusite sabe o incômodo que essa condição resulta no bem-estar e nas atividades do dia a dia. Por ser muito semelhante à gripe e ao resfriado, a consulta médica é fundamental para que o indivíduo inicie o tratamento com medicações.


Os principais sintomas da sinusite são:

a. Gotejamento pós-nasal (o muco produzido pela inflamação desce pela garganta);

b. Secreção nasal (a secreção nasal pode ser espessa e de cor branca, verde ou amarela - estas últimas caracterizam processo infeccioso);

c. Pressão ao redor do nariz, olhos e testa, além de dor de cabeça, nos dentes ou ouvidos;

d. Mau hálito;

e. Tosse;

f. Febre;

g. Cansaço.

h. Dor nas articulações e nos músculos dos membros superiores e inferiores, comumente presentes nos casos da gripe, também podem se manifestar.



E como a sinusite é diagnosticada?


Para o diagnóstico preciso da condição é obrigatório passar por avaliação clínica de um médico especialista em Otorrinolaringologia.


A princípio, o otorrinolaringologista avaliará os sintomas do paciente, como tempo de duração do desconforto, regiões da face mais sensíveis ao toque, se o paciente faz uso de algum medicamento e outras questões específicas. O procedimento clínico pode contemplar a visualização interna dos ouvidos, nariz, garganta. Não é descartada a drenagem ou obstrução das áreas comprometidas pela sinusite.


Conforme a necessidade do médico, o paciente poderá realizar alguns exames para a devida visualização da área, como por exemplo radiografias, tomografias computadorizadas, endoscopia nasal ou culturas nasais.


Desse modo, com todas essas informações coletadas, o otorrinolaringologista poderá diagnosticar se o paciente sofre ou não de sinusite.

Quando não tratada, a sinusite pode trazer riscos à saúde?


Existem diferentes tipos de sinusite e cada um deles possui sintomas singulares:

1. Sinusite bacteriana aguda: refere-se ao início dos sintomas característicos do resfriado, como coriza, nariz entupido e dor na face. Esses sintomas podem permanecer por dez dias e desaparecerem naturalmente, mas quando voltam são mais intensos se comparados à fase inicial;

2. Sinusite crônica: refere-se à congestão nasal, com dor e pressão na face e diminuição do olfato por pelo menos doze semanas;


3. Sinusite subaguda: refere-se aos sintomas que duram de quatro a doze semanas;

4. Sinusite aguda recorrente: refere-se quando os sintomas voltam de quatro ou mais vezes durante um ano (doze meses). Podem durar menos de duas semanas entre cada reincidência.

Nestes quatro tipos de sinusite, quando o paciente não realiza o tratamento adequado, pode correr risco de vida. Embora raros, existem casos de morte associados à sinusite. Confira abaixo o que pode acontecer caso a sinusite não seja tratada: A infecção provocada pela sinusite pode se espalhar para os olhos, resultando em vermelhidão, inchaço e diminuição da visão. Em casos graves, a infecção pode causar cegueira;

A infecção também pode se espalhar para o cérebro. São casos raros (quando o indivíduo não possui acesso a hospitais ou quando negligencia o tratamento), mas a infecção pode levar ao abscesso cerebral (formação de pus) ou meningite. Ambas são fatais.


Qualquer sintoma com características da sinusite ou semelhantes a outras patologias deve ser investigado.

Como se prevenir da sinusite?


A sinusite ocorre de forma sazonal, mas é possível controlar suas incidências. Preste atenção nessas recomendações abaixo:

a. Evite locais com poluição e presença de fumaça de tabaco. Esses poluentes irritam as vias aéreas; b. Controle suas alergias (aos ácaros, pólenes ou pelos de animais);

c. Mantenha o ambiente da sua casa sempre limpo. Evite usar cobertores e edredons guardados sem lavá-los; d. Evite colocar os dedos dentro do nariz. Os dedos possuem bactérias que são facilmente absorvidas pelas mucosas. Atenção redobrada por conta do novo coronavírus. Mantenha sempre as mãos limpas com água e sabão. Na impossibilidade, utilize álcool gel 70%; e. Reforce seu sistema imunológico. Mantenha uma dieta rica em vegetais. Diminua o consumo de álcool, alimentos açucarados e, principalmente, o tabaco; f. Tome a vacina da gripe; g. Mantenha o corpo hidratado;

E o tratamento para a sinusite?


É comum que os vírus sejam os responsáveis pelas infecções nos seios da face, aqueles causadores do resfriado comum. Por esse motivo, cuidado com o uso de antibióticos para tratar dessas sazonalidades, uma vez que esses medicamentos podem surtir efeitos colaterais - resistência ao princípio ativo e dificuldades de controle em infecções futuras - sobre o corpo.


Para o tratamento da sinusite recomendamos o uso de Homeopáticos que agem sobre a condição do paciente sem que este agrida seu sistema imunológico.

A Homeopatia é realmente eficaz para o controle da sinusite?


A homeopatia se baseia no princípio da similaridade, ou seja, qualquer substância capaz de causar sintomas em um indivíduo saudável também é capaz de tratar sintomas idênticos em um indivíduo doente.

Esse recurso se opõe ao chamado “medicamento alopático” que tem como objetivo combater as doenças através de efeitos contrários aos dos sintomas causados. Os alopáticos possuem em suas fórmulas matérias-primas de origem animal e sintética. Também estão presentes níveis de toxicidade - em decorrência dos compostos sintéticos - que podem ser prejudiciais à saúde. Deve-se levar em consideração que muitos dos pacientes que fazem uso destes medicamentos muitas vezes são intolerantes a algum dos princípios ativos presentes na fórmula, enfraquecendo desta forma o sistema imunológico.

Logo, os medicamentos homeopáticos podem ser administrados em pacientes que sofram de patologias diversas, como doenças agudas (gripe, gastroenterite, entre outros), infecções recorrentes, insônia, alergias, problemas dentários e para doenças crônicas. Importante ressaltar que para doenças graves como o câncer, a homeopatia não substitui as terapias propostas pelos médicos, mas age como um suporte para reações adversas.


Não existem contraindicações para o uso dos medicamentos homeopáticos, sendo que gestantes e crianças podem utilizar do recurso para tratamentos.

De acordo com a farmacêutica Suzan Solino Pucci da Beleza Saúde, os homeopáticos possuem ações eficazes no controle e prevenção da sinusite. “Se você está em busca de um tratamento alternativo que não seja antibiótico, a Homeopatia para Rinite e Sinusite da Beleza Saúde é uma fórmula que trata e previne os sinais e sintomas dessa doença, fazendo com que o próprio organismo crie resistência contra as infecções”, afirma.



Qual homeopático escolher para tratar a sinusite?


Se você deseja um tratamento contra a sinusite que realmente não agrida o seu organismo, a Homeopatia para Rinite e Sinusite: 20ml desenvolvida pela Beleza Saúde traz em sua composição Hydrastis Canadensis, Pulsatilla, Kali Bichromicum e Hepar Sulphur que juntos estimulam:

- A expectoração;

- Diminuição da inflamação na faringe e nos seios da face;

- Combate as infecções nasais;

- Previne trata sinusite e rinite;

- Trata dor facial e dor de cabeça causados pela condição;

- Pode ser administrado para tratar sintomas de gripe e resfriados.


Modo de Usar


Tomar 05 gotas 03 vezes ao dia (ou conforme prescrição do profissional habilitado). A Homeopatia para Rinite e Sinusite: 20ml da Beleza Saúde deve ser tomada 30 minutos antes ou após se alimentar ou escovar os dentes.

Para começar hoje mesmo o seu tratamento ou prevenção contra a rinite ou sinusite, adquira já o seu produto clicando aqui.

165 visualizações0 comentário