top of page

Tons da Beleza: Entendendo e abraçando o Vitiligo

Em um mundo que celebra a diversidade e a individualidade, o vitiligo é um exemplo da incrível variedade da beleza humana. Neste artigo, vamos explorar as causas, manifestações e experiências daqueles que vivem com vitiligo. Investigamos o impacto emocional, os tratamentos disponíveis e a jornada para a autoaceitação. Junte-se a nós para entender, abraçar e redefinir a beleza através das lentes do vitiligo.



O que é Vitiligo?


Vitiligo é uma condição crônica de pele caracterizada pela perda de pigmento em certas áreas da pele, resultando em manchas brancas. Ela ocorre devido à destruição ou disfunção dos melanócitos, células responsáveis pela produção do pigmento melanina, que dá cor à pele, cabelos e olhos.



O vitiligo pode afetar qualquer parte do corpo, e a extensão e progressão da doença podem variar de pessoa para pessoa. As áreas comuns onde aparecem manchas de vitiligo incluem o rosto, mãos, braços, pés e área genital, bem como ao redor de aberturas do corpo, como olhos, nariz e boca e geralmente são mais perceptíveis em pessoas com tons de pele mais escuros.



A causa exata do vitiligo ainda é desconhecida, mas acredita-se que acontece por que o sistema imunológico do corpo ataca e destrói erroneamente seus próprios melanócitos. Outros fatores como genética, gatilhos ambientais e estresse oxidativo também podem desempenhar um papel importante em seu desenvolvimento.




Como identificar?


É importante consultar um profissional de saúde qualificado, como um dermatologista, para um diagnóstico preciso de vitiligo. Eles irão considerar seu histórico médico, achados do exame físico e quaisquer testes necessários para chegar a um diagnóstico definitivo e desenvolver um plano de tratamento adequado.



O diagnóstico de vitiligo geralmente é baseado em uma combinação de exame físico, histórico médico e certos testes para diagnóstico. Vamos conhecer algumas das etapas mais comuns envolvidas no diagnóstico de vitiligo:



1 - Histórico médico: seu médico começará discutindo seus sintomas, fazendo perguntas sobre quando as manchas despigmentadas apareceram pela primeira vez, como elas progrediram e se você tem histórico familiar de vitiligo ou outras condições autoimunes.



2 - Exame Físico: Será realizado um exame visual da sua pele para avaliar a extensão e o padrão da despigmentação. As áreas afetadas podem ser examinadas sob luz natural, uma lâmpada de Wood (uma luz ultravioleta portátil) ou outros dispositivos especializados para ajudar a identificar e avaliar a extensão da despigmentação.



3 - Descartar outras condições: seu médico pode querer descartar outras condições de pele que possam se assemelhar ao vitiligo, como infecções fúngicas, hipopigmentação pós-inflamatória ou outros distúrbios pigmentares.



4 - Exames de sangue: em alguns casos, exames de sangue podem ser recomendados para verificar certos marcadores autoimunes ou para avaliar a função da tireoide, pois há uma prevalência maior de distúrbios autoimunes da tireoide em indivíduos com vitiligo.



5 - Biópsia de pele (opcional): Uma biópsia de pele pode ser realizada em certos casos para confirmar o diagnóstico ou descartar outras condições. Uma pequena amostra da pele afetada é retirada e examinada ao microscópio.




Vitiligo é uma doença?


O vitiligo não é considerado uma doença no sentido tradicional. O vitiligo é geralmente considerado um distúrbio ou uma condição, e não uma doença. Não é contagiosa, não causa desconforto físico e não está associada a nenhum risco ou complicação significativa à saúde.



Embora o vitiligo não seja uma doença, ele pode ter impactos emocionais e psicológicos nos indivíduos que o possuem. As mudanças perceptíveis na aparência e o potencial estigma social podem afetar a autoestima, a imagem corporal e a qualidade de vida. No entanto, é importante observar que as pessoas com vitiligo podem levar uma vida saudável e gratificante, e existem várias opções de tratamento e sistemas de suporte disponíveis para controlar a condição e seu impacto no bem-estar.




Como cuidar da pele?


Cuidar da pele com vitiligo envolve uma combinação de práticas gerais de cuidados com a pele e considerações específicas para o manejo da condição. Aqui estão algumas dicas para ajudar a manter a pele saudável com vitiligo:



Proteção solar: Proteger a pele do sol é crucial, pois as áreas de despigmentação no vitiligo são mais sensíveis à luz solar. Aplique um protetor solar de amplo espectro com FPS alto regularmente, use roupas de proteção e procure sombra durante os horários de pico do sol.



Hidratação: Mantenha sua pele bem hidratada aplicando hidratantes regularmente. Isso ajuda a prevenir o ressecamento, o que pode exacerbar o aparecimento de manchas de vitiligo.



Limpeza suave: Use produtos de limpeza suaves e não irritantes para limpar a pele. Sabonetes ou produtos de limpeza agressivos podem remover os óleos naturais e ressecar ainda mais a pele.



Evite traumas na pele: proteja sua pele de traumas e atritos que podem causar lesões ou irritações. Tenha cuidado ao fazer a barba ou usar materiais abrasivos nas áreas afetadas.



Considere técnicas de camuflagem: se desejar, você pode explorar técnicas de camuflagem cosmética para uniformizar a aparência das manchas de vitiligo. Isso inclui o uso de produtos de maquiagem especializados, como cremes ou corretivos de correção de cores, para misturar as áreas despigmentadas e pigmentadas da pele.



É importante lembrar que essas dicas podem variar dependendo das circunstâncias individuais, por isso é aconselhável consultar um profissional de saúde ou um dermatologista que possa fornecer aconselhamento personalizado com base nas suas necessidades específicas e na progressão do seu vitiligo.





Famosos com Vitiligo


Existem vários artistas e influenciadores famosos que têm vitiligo e usaram sua plataforma para aumentar a conscientização, promover a auto aceitação e desafiar os padrões de beleza.



Winnie Harlow: Winnie Harlow, também conhecida como Chantelle Brown-Young, é uma modelo canadense e porta-voz da conscientização sobre o vitiligo. Ela ganhou destaque depois de participar do America's Next Top Model e se tornou uma figura influente na indústria da moda, quebrando barreiras e capacitando outras pessoas com vitiligo.



Luiza Brunet: A modelo e atriz brasileira convive com o vitiligo desde os dois anos de idade. Alcançou a fama como top model para as calças Dijon nos anos 80 e hoje ainda atua como modelo, atriz e ativista.



Amit Singh: Amit Singh, popularmente conhecido como "Confidently Amit", é um artista, blogueiro e ativista que usa sua arte para desafiar as normas sociais e celebrar a diversidade. Suas ilustrações impressionantes e mensagens poderosas visam promover o amor próprio e a aceitação das pessoas com vitiligo.



Mateus Solano: O galã das novelas da Globo afirmou ter desenvolvido vitiligo após a perda traumática de uma tia. A maior parte das manchas é escondida com maquiagem para as gravações, mas uma pequena mancha ainda pode ser observada sobre seu lábio. Em suas próprias palavras, o ator considera “uma homenagem a Michael Jackson, (de quem) sou muito fã”.



Michaela DePrince: Michaela DePrince é uma bailarina profissional e autora que tem vitiligo. Ela ganhou reconhecimento internacional por seu notável talento e resiliência. A história de Michaela superando adversidades e perseguindo seus sonhos inspirou muitos, enfatizando que o vitiligo não define a habilidade ou a beleza de uma pessoa.





Esses indivíduos, entre outros, desempenharam um papel significativo na conscientização sobre o vitiligo e desafiando os preconceitos da sociedade. Por meio de sua defesa, eles abriram caminho para uma maior aceitação e celebração da diversidade nas artes, na moda e além.


Preconceito NÃO!


O preconceito contra as pessoas com vitiligo é uma realidade infeliz que decorre dos padrões de beleza estreitos da sociedade. As distintas manchas brancas na pele muitas vezes evocam curiosidade, ignorância e até mesmo discriminação. No entanto, é crucial desafiar esses equívocos e promover uma compreensão mais inclusiva da beleza.



O preconceito contra o vitiligo surge da falta de consciência e empatia. Pessoas com vitiligo enfrentam olhares, comentários insensíveis e exclusão com base em sua aparência. Esse preconceito pode afetar profundamente sua autoestima, confiança e bem-estar geral. Isso perpetua a noção prejudicial de que as diferenças físicas devem ser encaradas com rejeição em vez de aceitação.



No entanto, a narrativa está mudando à medida que mais indivíduos com vitiligo abraçam corajosamente sua singularidade. Eles desafiam as normas sociais, defendem a aceitação e inspiram outras pessoas a celebrar a diversidade. Por meio de educação, campanhas de conscientização e histórias pessoais, a indústria da beleza e a mídia estão começando a reconhecer a importância da representação e inclusão.



Ao promover a empatia e a compreensão, podemos acabar com o preconceito contra as pessoas com vitiligo. Abraçar a diversidade de experiências e aparências humanas enriquece nossa tapeçaria coletiva. Vamos ficar juntos, desafiar os estereótipos e criar um mundo onde a beleza da singularidade seja celebrada e o preconceito não encontre espaço para prosperar.

52 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

2 則留言


Iluska Torezani
Iluska Torezani
2023年6月28日

Super necessário falarmos de temas tão importantes e que causam tantas inseguranças nas pessoas.

Parabéns pelo conteúdo!!!

按讚

Deise Panissa
Deise Panissa
2023年6月28日

Excelente assunto à se tratar. Esta semana até a Alexa tratou o assunto com todo carinho e respeito. 😊

按讚
bottom of page