top of page

Hormônios da Felicidade: como treiná-los?


silhueta de uma mulher na praia ao pôr do sol
O prazer de apreciar paisagens e lugares

O nosso organismo é complexo suficiente para ter diversos fatores que o "comandam" como mencionamos já no artigo sobre a funcionalidade do cérebro, mas umas das substâncias mais importantes que acabam guiando as nossas rotinas e até sentimentos são os hormônios.


Os hormônios desempenham papéis fundamentais na regulação de questões que parecem simples, mas que são fundamentais para nossa vida, como o sono, prazer, apetite, amor/conexão e diversos outros fatores que nos fazem seguir uma vida mais leve e feliz. Por falar em felicidade, vamos falar um pouco sobre os hormônios que estão atrelados à ela de alguma maneira e como podemos estimulá-los de diversas maneiras, afinal, quem não gostaria de ter uma vida feliz?


Dentre as formas de estímulo dos hormônios, será que você consegue perceber alguma semelhança?


Hormônios da felicidade?


É muito comum ouvir falar dos "hormônios da felicidade", mas quais são estes hormônios e seus papéis em nossa vida para que levem esse nome tão forte e relevantes para o dia a dia?


Vamos explorar um pouco mais sobre cada um desses 4 hormônios fundamentais para nós, serotonina, dopamina, endorfina e a ocitocina.


Uma avó e sua neta olhando um álbum felizes em sua casa
Avó e neta vendo álbum de memórias felizes

O que é a serotonina:


A serotonina é um dos hormônios mais importantes para a regulação do nosso bem-estar e equilíbrio emocional. Conhecida popularmente como o "hormônio do prazer", ela é sintetizada a partir do triptofano, um aminoácido encontrado em alimentos como ovos, queijo, nozes, sementes, banana e chocolate amargo e desempenha um papel fundamental em várias funções do nosso corpo, incluindo a regulação do humor, apetite, sono, memória e aprendizado.


Funções da serotonina:


  1. Regulação do humor: A serotonina é conhecida por desempenhar um papel essencial na regulação do nosso humor. Níveis adequados de serotonina estão associados a uma sensação geral de bem-estar, felicidade e tranquilidade. Por outro lado, baixos níveis de serotonina têm sido relacionados a distúrbios do humor, como depressão e ansiedade.

  2. Controle do apetite: A serotonina também está envolvida na regulação do apetite. Ela ajuda a controlar a sensação de saciedade após as refeições e pode influenciar nossas escolhas alimentares. É comum que em períodos de estresse ou ansiedade, as pessoas busquem alimentos ricos em carboidratos para aumentar os níveis de serotonina temporariamente, o que pode levar a comportamentos alimentares emocionais.

  3. Regulação do sono: A serotonina desempenha um papel importante no ciclo do sono-vigília. Ela é precursora da melatonina, um hormônio que regula nosso ritmo circadiano e promove o sono. Por isso, a deficiência de serotonina pode estar relacionada a problemas de insônia e distúrbios do sono.

  4. Melhora da memória e aprendizado: A serotonina tem sido associada à melhora da memória e do aprendizado. Ela ajuda na plasticidade cerebral, que é a capacidade do cérebro de se adaptar e formar novas conexões neurais, o que é essencial para o processo de aprendizado e consolidação da memória.


Como estimular a serotonina?


  1. Alimentação balanceada: Consumir alimentos ricos em triptofano, como ovos, queijo, nozes, sementes, banana e chocolate amargo, pode ajudar a aumentar os níveis de serotonina. Além disso, optar por uma dieta equilibrada, rica em nutrientes essenciais, também é importante para a saúde geral do cérebro.

  2. Exercícios físicos: A prática regular de exercícios físicos tem sido associada ao aumento dos níveis de serotonina. Atividades como caminhada, corrida, dança e yoga podem ajudar a melhorar o humor e reduzir os sintomas de ansiedade e depressão.

  3. Exposição à luz solar: A luz solar é uma fonte natural de estímulo para a produção de serotonina. Passar tempo ao ar livre e tomar sol durante o dia pode contribuir para a melhoria do humor e do sono.

  4. Práticas de relaxamento: Meditação, técnicas de respiração profunda, ioga e outras práticas de relaxamento podem ajudar a reduzir o estresse e aumentar a produção de serotonina.


Uma mulher com a mão em seus fones de ouvido sorrindo na pausa da corrida
Mulher feliz realizando exercícios com fone de ouvido

O que é a dopamina?


A dopamina é um neurotransmissor crucial para diversas funções cerebrais e comportamentais, desempenhando um papel fundamental em nossa motivação, recompensa e prazer, junto da serotonina este hormônio também é comumente chamado de "hormônio do prazer" e tem grande influência em nosso sistema de recompensa cerebral estando associado a momentos de satisfação e realização.


Funções da dopamina:


  1. Motivação e recompensa: A dopamina está intimamente relacionada à nossa motivação e ao sistema de recompensa cerebral. Quando realizamos uma ação que nos traz satisfação, como comer algo saboroso, alcançar uma meta ou receber elogios, os níveis de dopamina aumentam, gerando uma sensação de prazer e recompensa.

  2. Controle do movimento: Além de seu papel no sistema de recompensa, a dopamina também está envolvida no controle do movimento voluntário. A falta de dopamina em certas áreas do cérebro está associada a distúrbios motores, como a doença de Parkinson.

  3. Aprendizado e atenção: A dopamina também desempenha um papel importante no aprendizado e na atenção. Ela está envolvida na formação de memórias associativas, que são essenciais para o aprendizado e a tomada de decisões.

  4. Regulação do humor: Embora a dopamina seja frequentemente associada ao prazer, ela também pode desempenhar um papel no controle do humor. Níveis desequilibrados de dopamina têm sido associados a distúrbios psiquiátricos, como a esquizofrenia e o transtorno bipolar.


Como estimular a dopamina?


  1. Estabeleça metas e conquiste-as: Estabelecer metas realistas e alcançáveis e trabalhar para conquistá-las é uma excelente maneira de aumentar os níveis de dopamina. A cada conquista, o cérebro libera dopamina, incentivando-nos a buscar mais realizações.

  2. Participe de atividades criativas: Atividades criativas, como pintura, escrita, música ou dança, estimulam a produção de dopamina e podem proporcionar uma sensação de prazer e satisfação.

  3. Pratique exercícios físicos: A prática regular de exercícios físicos também aumenta os níveis de dopamina. Escolha uma atividade que lhe dê prazer e motive-se a praticá-la regularmente.

  4. Busque novidades: Experimentar coisas novas e desafiadoras pode estimular a produção de dopamina. Isso pode ser desde experimentar um novo prato em um restaurante até aprender um novo idioma ou fazer uma viagem inesperada.


O que é a endorfina?


A endorfina é um hormônio e neurotransmissor conhecido por ser o "hormônio do bem-estar" e está intimamente associada à sensação de euforia e prazer. Sua produção é ativada em resposta a determinados estímulos e atuam como analgésicos naturais, aliviando a dor e promovendo essa sensação geral de bem-estar.


Função da endorfina:


  1. Alívio da dor: Uma das principais funções das endorfinas é atuar como analgésicos naturais, aliviando a dor e o desconforto. Elas são liberadas pelo sistema nervoso em resposta a estímulos dolorosos, ajudando a reduzir a percepção da dor.

  2. Sensação de euforia: A liberação de endorfinas está associada à sensação de euforia e prazer. Elas são produzidas em momentos de grande alegria, prazer ou excitação, como após uma atividade física intensa, durante uma gargalhada contagiante ou após realizar uma conquista significativa.

  3. Melhora do humor: As endorfinas têm um efeito positivo no humor e podem ajudar a reduzir os sintomas de ansiedade e depressão. Sua liberação em resposta a experiências prazerosas contribui para uma sensação geral de felicidade e satisfação.

  4. Estímulo à atividade física: A liberação de endorfinas durante a prática de exercícios físicos, como corrida, ciclismo e dança, é conhecida como "euforia do corredor" ou "euforia do exercício". Essa sensação de bem-estar após o treino pode servir como um incentivo para a prática regular de atividades físicas.


Como estimular a endorfina?


  1. Exercícios físicos: A prática regular de exercícios físicos, especialmente atividades aeróbicas e de intensidade moderada a alta, é uma das formas mais eficazes de estimular a produção de endorfinas. Durante o exercício, o corpo libera esses neurotransmissores, proporcionando uma sensação de bem-estar conhecida como "euforia do exercício".

  2. Rir: Rir é uma excelente maneira de liberar endorfinas. Assista a uma comédia, compartilhe momentos engraçados com amigos ou participe de sessões de riso deliberado para experimentar os benefícios dessa prática.

  3. Atividades prazerosas: Engajar-se em atividades que trazem prazer e satisfação, como ouvir música, dançar, pintar, cozinhar ou passar tempo com entes queridos, pode estimular a liberação de endorfinas.

  4. Exposição ao sol: A exposição moderada à luz solar também pode ajudar na liberação de endorfinas. Caminhar ao ar livre em um dia ensolarado pode melhorar o humor e promover a sensação de bem-estar.


O que é a ocitocina?


A ocitocina é um hormônio e neurotransmissor conhecido como o "hormônio do amor" ou "hormônio do abraço", devido ao seu papel fundamental na promoção da empatia, confiança e conexão emocional entre as pessoas. Ela desempenha um papel essencial em nosso comportamento social, estreitando laços afetivos e fortalecendo os relacionamentos interpessoais.


Funções da ocitocina:


  1. Promoção do vínculo afetivo: A ocitocina desempenha um papel crucial no estabelecimento e fortalecimento dos laços afetivos, sejam eles entre pais e filhos, entre parceiros românticos ou em amizades íntimas. Ela é liberada em momentos de afeto e conexão emocional, facilitando a formação de vínculos profundos e significativos.

  2. Facilitação do parto e amamentação: Durante o parto, a ocitocina é liberada para estimular as contrações uterinas, auxiliando no processo de nascimento do bebê. Além disso, durante a amamentação, a ocitocina é liberada para ajudar na ejeção do leite materno.

  3. Redução do estresse e ansiedade: A ocitocina tem a capacidade de reduzir os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, proporcionando uma sensação de tranquilidade e segurança. Sua liberação está associada a momentos de calma e relaxamento, contribuindo para a redução da ansiedade.

  4. Estímulo à empatia e confiança: A ocitocina tem sido associada à empatia e confiança entre as pessoas. Ela desempenha um papel importante na capacidade de entender e se conectar com as emoções dos outros, promovendo um senso de coesão social e apoio mútuo.


Como estimular a ocitocina?


  1. Abraços e carinhos: O contato físico, como abraços, carinhos e toques afetuosos, é uma das formas mais eficazes de estimular a liberação de ocitocina. Essas demonstrações de afeto fortalecem os laços emocionais e promovem uma sensação de bem-estar.

  2. Interações sociais positivas: Cultivar relacionamentos saudáveis e significativos com amigos, familiares e parceiros pode aumentar a produção de ocitocina. Compartilhar momentos de alegria e apoio emocional estimula a liberação desse hormônio.

  3. Momentos de conexão emocional: Participar de atividades em grupo, como reuniões familiares, encontros com amigos ou práticas de meditação em grupo, pode favorecer a liberação de ocitocina e promover um senso de pertencimento.

  4. Exercícios físicos: Alguns estudos sugerem que a prática regular de exercícios físicos também pode estimular a produção de ocitocina, proporcionando uma sensação de bem-estar e relaxamento.

Conclusão



Casal correndo ao ar livre em meio a mata
Casal estimulando sua produção hormonal com corrida


A importância dos hormônios em nossa vida não pode ser desprezada, dentre diversos fatores que influenciam nossa vida a prática de atividades físicas como apresentado anteriormente é fundamental para mantermos o organismo regulado, por conta disso que se fala muito delas quando se trata de saúde e bem estar.


Você precisa somente de 20 minutos de atividade física 3 vezes na semana para manter a produção natural dos hormônios da felicidade, selecione bem os dias e as atividades que lhe trazem prazer nesse sentido, uma caminhada, corrida, bicicleta, academia, qualquer atividade que faça seu coração "disparar" é o suficiente, não deixe que a correria do dia a dia atrapalhe o seu autocuidado, lembre-se sempre a sua saúde vale mais do que qualquer coisa.


Lembrando sempre que a desregulação hormonal é um caso a ser revisado por médicos especialistas na área, existem ativos e tratamentos indicados em casos específicos para auxiliar aqueles que já não conseguem encontrar forças para realização das mudanças de rotina em sua vida, procure um especialista da área da saúde mental e converse sempre com as pessoas à sua volta, você nunca está só!


Em suma maioria os tratamentos com remédios são controlados, mas para o caso exclusivo da ocitocina, há a produção do hormônio sintético para auxiliar em sua reposição e ajudar no tratamento do caso individual, aqui na Beleza Saúde você pode encontrá-lo através deste link, mas reforçamos a busca por profissionais que possam lhe indicar o melhor tipo de tratamento à você.

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page