A Farmácia é uma arte

Dia do Farmacêutico – 20 de janeiro

Conheça um pouco mais sobre a história dessa ciência tão importante para o desenvolvimento da sociedade


É uma ciência voltada para a preparação e padronização das drogas. Seu escopo inclui o cultivo de plantas que são usadas para o preparo das fórmulas.

Os farmacêuticos são especialistas responsáveis pelo preparo dessas fórmulas (chamados de “medicamentos”), que vão desde comprimidos, cápsulas, até soluções injetáveis. O trabalho destes profissionais não se destina exclusivamente às prateleiras das farmácias: odontologistas, médicos e veterinários são os profissionais da saúde que mais se beneficiam dos medicamentos produzidos.

O principal objetivo dos medicamentos é o de ser um mecanismo de ação no combate e no tratamento de doenças diversas.


História da Farmácia

Os primórdios da farmácia são antigos. Na mitologia grega, Asclépio, o Deus da Arte da Cura, delegava à Hygieia o dever de preparar seus medicamentos. Filha de Asclépio, Hygieia foi considerada a primeira farmacêutica da história.

A ciência também veio de outras culturas, como a romana, européia e norte-americana. A tendência no decorrer da história foi a necessidade de especialização da arte, uma vez que médicos e farmacêuticos exerciam a mesma atividade. Em razão da influência árabe na Europa no século 700, houve um consenso de separar a atividade. Em uma lei promulgada pelo conselho de municipal de Bruges em 1683, passaram a proibir os médicos de prepararem os medicamentos de seus pacientes.

Benjamin Franklin, também cientista, deu um grande passo para a profissionalização da ciência nos Estados Unidos, quando indiciou um farmacêutico para um hospital da Pensilvânia.

Na Segunda Guerra Mundial a indústria farmacêutica obteve grandes resultados a partir de novas descobertas. Até hoje, O farmacêutico continua, no entanto, a cumprir as intenções do prescritor, fornecendo conselhos e informações; formulando, armazenando e fornecendo formas de dosagem corretas; e garantindo a eficácia e qualidade do medicamento dispensado ou fornecido.


Farmácia como formação

Vimos que no passado a farmácia caminhava ao lado da medicina. Dessa forma, diversas disciplinas da medicina foram incluídas na formação do farmacêutico, como anatomia e o funcionamento do organismo.

A primeira instituição de ensino direcionado à farmácia foi fundada em 1821 nos Estados Unidos. Hoje, essa instituição é conhecida como Philadelphia College of Pharmacy and Science. Outros institutos e faculdades foram estabelecidos logo depois nos Estados Unidos, Grã-Bretanha e Europa continental. As faculdades de farmácia, como organizações independentes ou como escolas de universidades, agora operam na maioria dos países desenvolvidos do mundo, além do Brasil.

A formação em farmácia (bacharelado) é de cinco anos, abrangendo disciplinas gerais e específicas, como física, química , biologia, bacteriologia, fisiologia, farmacologia e muitos outros cursos especializados. Como o farmacêutico está envolvido tanto em um negócio como em uma profissão, é fornecido treinamento especial em merchandising, contabilidade, técnicas de informática e jurisprudência farmacêutica.


Licença e regulamento

Para exercer a farmácia nos países em que é exigida licença, o candidato deve ser qualificado por graduação em uma faculdade de farmácia reconhecida, atender aos requisitos específicos de experiência e ser aprovado em um exame conduzido por um conselho de farmácia nomeado pelo governo.

As leis farmacêuticas geralmente incluem os regulamentos para a prática da farmácia, a venda de venenos, a distribuição de narcóticos e a rotulagem e venda de drogas perigosas. O farmacêutico vende e dispensa medicamentos dentro das disposições das leis de alimentos e medicamentos do país em que atua. Essas leis reconhecem a farmacopéia nacional (que define os produtos usados ​​na medicina, sua pureza, dosagens e outros dados pertinentes) como o padrão para os medicamentos. Seu objetivo é padronizar os medicamentos internacionalmente e fornecer padrões, dosagens e nomenclatura para os países que não possuem farmacopéia nacional.


Dia do Farmacêutico Segundo o portal do Conselho Federal de Farmácia, o CFF, “a escolha de uma data para a comemoração do Dia do Farmacêutico foi marcada por desencontros e várias propostas". A idéia da criação de um “Dia” partiu do farmacêutico Oto Serpa Grandado, e foi colocada em discussão, pela primeira vez, no dia 7 de janeiro de 1941 quando ele participava de uma reunião na Associação Brasileira de Farmacêuticos (ABF) e fez o seguinte questionamento: “Todas as profissões tem o seu dia, data especial para comemorar o ideal abraçado. Por que não temos o nosso “Dia”? “ Deste questionamento surgiu a proposta para a criação do “Dia do Farmacêutico”. No dia 20 de janeiro é comemorado o Dia do Farmacêutico. A data foi escolhida em função da fundação da Associação Brasileira de Farmacêuticos (ABF), em 20 de janeiro de 1916. Na época, era a maior instituição representativa da categoria, no País. Considerando a necessidade de unificar a comemoração do Dia do Farmacêutico e por ensejar maior visibilidade e reconhecimento, o Conselho Federal de Farmácia, por meio da Resolução nº 460, de 23 de março de 2007, reconheceu o dia 20 de Janeiro como o Dia do Farmacêutico. Na busca pela valorização e estímulo do profissional farmacêutico, a para que o dia 20 de janeiro seja marcado pelo reconhecimento daqueles que lutam em prol a farmácia, foi criada pelo Conselho Federal de Farmácia, por meio da Resolução nº 323, de 16 de janeiro de 1998, a Comenda do Mérito Farmacêutico que visa distinguir farmacêuticos e autoridades pelos relevantes serviços prestados à profissão. A entrega da Comenda do Mérito Farmacêutico é realizada durante as comemorações do Dia do Farmacêutico”.

A Beleza Saúde deseja a todos os colegas de profissão um futuro cada vez mais promissor e que consigamos avanços significativos na promoção da saúde dos pacientes.

Todos nossos produtos em até 6x sem juros! Acesse nosso site e confira 😉


25 visualizações0 comentário